Um casal está comemorando o aniversário de casamento, com um jantar em um pequeno restaurante no campo.

O marido se inclina e pergunta para a esposa:

– Meu bem, você se lembra da nossa primeira vez, há cinqüenta anos? Nós fomos para a parte de trás do restaurante, você se apoiou na cerca e…

– Eu lembro muito bem, responde ela.

– O que você acha de repetirmos agora, em louvor aos velhos tempos?

– Oh, você é um louco, mas me parece uma boa idéia.

Um policial sentado ao lado ouve a conversa e pensa: Tenho que ver estes dois coroas fazendo sexo, encostados na cerca.

Eles saem e caminham até lá, se apoiando um ao outro, ajudados por bengalas. Chegam à cerca e a velha senhora ergue a saia, tira a calcinha, o coroa baixa as calças. Ela se agarra na cerca e ele vem por traz. De repente, eles explodem no sexo mais furioso que o policial já tinha visto na vida. Trepam como se tivessem dezoito anos. Repetem dezenas de vezes. Ela grita e ele agarra os quadris dela, furiosamente. O sexo mais atlético imaginável. Finalmente caem exaustos no chão. Depois de mais de meia hora deitados se recuperando, os dois se levantam, apanham as roupas espalhadas e se vestem.

O policial, ainda perplexo, toma coragem, se aproxima do casal e pergunta:

– Vocês devem ter tido uma vida fantástica. Como vocês conseguem? Qual é o segredo?

– Sei lá… cinqüenta anos atrás a cerca não era eletrificada.

Anúncios