Hoje acordei deveras cedo.
Alegre e contente, pronto para uma façanha,
Resolvi empenhar-me numa empreitada sem medo.
Saí de casa disposto a conquistar uma montanha.

A subida foi difícil e árdua, mas o final compensou.
No topo eu cheguei e vi uma coisa deslumbrante:
A paisagem mais linda que, ao meu ver, ninguém jamais sonhou;
De fato, a visão que tive era mesmo estonteante.

Pelos primeiros raios de sol tive o rosto aquecido;
O perfume da relva orvalhada pelo sereno da noite era exalado.
Não consigo imaginar por que tão belo lugar foi, por mim esquecido;
A coloração rubra do local me deixou mesmo extasiado.

De repente, senti que algo me faltava…
De um lado para o outro procurei assustado;
Percebi, então, que lá não estava aquela a quem eu amava;
E de nada a paisagem servia, se você não estava ao meu lado.

De que adianta as maravilhas da natureza?
A perfeição não se completa quando você não está comigo;
E o que antes era alegria, transformara-se agora em tristeza.

No mesmo instante, vejo-a andando em minha direção;
Bela e vistosa num lindo vestido esvoaçante.
Essa visão me paralisa, e por um momento fico sem ação,
Mas logo me recompus e corri até você num instante.

Abracei-lhe forte e beijei-a apaixonadamente;
Comecei a ouvir o canto dos pássaros saudando nossa união.
As flores desabrochavam, exalando todos os perfumes existentes;
Era a natureza reagindo alegre à nossa paixão.

Os raios de sol brilhavam mais intensamente,
Iluminavam seu rosto que ficava, então, dourado.
Só que eles não ofuscavam o seu brilho resplandecente,
Que, com amor e paixão, alegram esse seu amado.

Sentados juntos no topo da montanha vemos a natureza se manifestar,
Observamos as ondas do mar baterem nas pedras com vigor.
As nuvens no céu começaram, então, a bailar,
Tudo como se fosse a apreciação divina de nosso amor.

Qualquer um pode escrever poemas sobre a natureza.
Qualquer um pode escrever poemas sobre a paixão,
E digo isso cheio de razão e certeza;
Só quem viveu essa experiência, como eu, pode ter tal inspiração…

Anúncios