E acorda Maria, aquartelada em mais uma manhã de sol. Feliz ela está esta manhã pois hoje sua amiga Noélia a visitará para passar um dia agradável.

Desde que seu marido Paulo a deixou, não conseguia mais confiar em ninguém, exceto Noélia, que há muito era sua amiga.

Não se lembrava bem ao certo de como a conhecera, mas sabe que sempre vem ela em sua casa para lhe fazer companhia, discutir política, economia e sobre homens, que no geral quase nenhum presta.

Maria gosta muito da companhia de sua amiga pois esta possui um intelecto muito superior a de qualquer outra amiga que tivera em toda a sua vida.

— Vamos, levante-se sua dorminhoca! Está um lindo dia lá fora e hoje iremos ao lago pegar alguns peixes como prometi na ultima vez — disse Noélia.

Maria não entendeu bem ao certo de como Noélia tinha entrado em sua casa e em seu quarto nessa manhã pois todas as portas, inclusive as de seu quarto permaneciam trancadas a chave, mas achou melhor não pensar sobre isso pois tinham um dia cheio pela frente.

Chegando ao lago, Maria, quase morre de susto quando vê Noélia, uma jovem de 21 anos, virgem, e muito bonita, tirando toda a sua roupa e pulando nua no lago, onde haviam muitas pessoas, em sua maioria jovens, presentes no local. O que mais impressiona Maria é que, praticamente ninguem chega a se importar realmente com o comportamento de Noélia, assim, ninguem dava atenção.

— Pule! — disse Noélia, batendo os braços e jogando água em Maria.

Maria completamente envergonhada com isso, estava com suas bochechas rosadas, mas ao ver que ninguem se importava com Noélia a nadar nua no lago, resolveu também despir-se, porém pelo seu extremo pudor, ainda ficou de roupas-de-baixo. Ao colocar os pés na água, é puxada com toda pressa para dentro por Noélia. Maria, por não saber nadar direito, bateu muito os braços até chegar à beirada do lago novamente, e percebeu que todos que estavam no lago começaram a agir de forma peculiar: As mães tapavam os olhos de seus filhos, os homens chegavam mais perto e faziam elogios a Maria, e mulheres gritavam ameçando chamar a polícia, mas Maria não conseguia entender de maneira alguma porque as pessoas se escandalizavam por ela estar de roupas íntimas nadando no lago enquanto noélia nadava completamente nua e ninguem ao menos dizia nada.

Pulou fora d’água vorazmente, vestiu suas roupas envergonhada enquanto mandava alguns garotos de 16 anos irem procurar sua turma por estarem aporrinhando-a.

— Hahaha, como você é boba — disse Noélia, — como pode, envergonhar-se com tamanha beleza que você mesma tem?

— Mas você não está vendo que todos estão me olhando e fazendo comentários? — disse Maria, envergonhada, olhando para um ponto da grama onde não conseguia captar a presença de nenhuma pessoa por perto.

— Fazem comentários pois acham-te atraente, e vamos pensar um pouco, desde que Paulo largou-te, você nunca mais se interessou em ninguem; está seria sua chance de talvez encontrar um novo amor e finalmente curar todas essas feridas que ficaram na sua alma, e voltar a ser a pessoa feliz e sorridente que você sempre foi. — Riu Noélia.

— Não diga asneiras, — Disse Maria atordoada, — sabes melhor do que ninguem que estou só por opção e não por falta de partido, e que quando aparecer uma pessoa bela, inteligente, que tenha bons valores em minha vida eu abrire….

— Acorde Maria! — interrompeu Noélia — Essa pessoa jamais aparecerá se vc não conhecer ninguem novo, ou você espera que de um avião da Gol, pule um passageiro de paraquedas por ter caustrofobia e caia justamenten o seu quintal, pedindo-te para passar o resto da vida com você?

— Não me interrompa enquanto eu estiver concluíndo um raciocínio, você sabe como eu odeio isso! — disse Maria, enfurecendo-se por saber que Noélia tinha razão.

As duas, agora vestidas, vão para outra parte do lago para poderem pescar.

Sentadas em pedras grandes, perto de onde as lanchas eram ancordas, as duas começaram a pescar, ou melhor, apenas maria, noélia apenas dava dicas sobre o tipo de peixes que havia naquele lago e qual a melhor isca usar.

Maria ja estava irritando-se pois todos os peixes que ela pegava, colocava nas mãos de Noélia, Noélia deixava-os escapar e cair novamente no lago, foi quando decidiu-se não mais passar os peixes a Noélia e sim ela própria guardar os peixes dentro de uma rede no lago.

— Maria?!? que surpresa te ver por aqui, você não mudou nada, continua linda como sempre — Disse um homem que ainda não havia sido identificado.

— Desculpe mas.. — disse Maria olhando o homem saindo da direção do sol e logo reconhecendo-o exclamou: — Paulo?!? O que você está fazendo aqui?

— Vim trazer o meu irmão Tadeu para conhecer o lago, mas acabei me perdendo dele, e você? Parece tão sozinha, estás bem?

— Paulo, gostaria que você conhecesse a… — Disse Maria.

— Melhor não! — cochichou Noélia — vou dar uma caminhada enquanto vocês conversam ok? — e Noélia desapareceu como um raio.

— Você dizia? — disse Paulo.

— Sim, eu dizia que hoje, por ser um dia muito belo, resolvi vir pescar no lago e depois ler um bom livro. — Disse Maria apontando para o livro que tirava de sua bolsa.

— Mas você ainda está lendo este livro?!? — Exclamou Paulo — já há 2 anos você está lendo este livro e até hoje não terminou?

— É, você me conhece bem, sabe como eu tenho dificuldade de terminar de ler meus livros não é mesmo? — disse Maria.

— Sim, eu bem entendo.. — Respondeu Paulo.

Logo levantaram-se na sala do castelo, e foram conhecer os quartos.

— Esta é a suite nupcial do principe. — Disse o guia a Noélia, Maria e Paulo.

— O que estamos fazendo neste castelo? — Perguntou Noélia a Maria.

— Você não se lembra? — Retrucou Maria — Logo após a pescaria, o irmão de Paulo nos trouxe aqui para conhecermos seu novo emprego.

— Maria? com quem você está conversando? — Perguntou Paulo saindo da Suite nupcial do principe.

— Ahh, esqueci de te apresentar, esta é Noélia Almeida, minha melhor amiga — dizia Maria, enquanto Noélia entrava na primeira porta a esquerda — Noélia?? Noélia?? — envergonhada, Maria disse: — Ela sempre faz isso, me deixa falando sozinha e do nada volta, isso me irrita sempre. Sempre!

— Me desculpe mas eu não a pude ver ainda — disse Paulo.

— Não se preocupe, logo você a conhecerá e gostará muito dela. — e continuaram o passeio pelo hall do castelo.

Após saírem da cavalgada que fizeram um pouco depois; Maria feliz, disse que este estava sendo um dia muito especial para ela mesma, que ja havia esquecido como era bom estar na presença de seu ex-marido, e um beijo, apaixonado, lhe deu.

— Nãooooo!! — gritou Noélia — você não pode cair nesse truque tão antigo! Você não é tão idiota assim.

Maria, atrapalhando-se toda, empurrou Paulo, que sem entender nada perguntou:

— O que aconteceu?

— Acho que Noélia tem razão. — Responde segurando as mãos de Noélia.

— Mas que Noélia?

— Eu acho que ele está ficando louco. — disse Noélia dando um telefone para Maria ligar para um hospício.

— Noélia tem razão, Paulo, você deve estar ficando louco.

— Louco eu? — Pergunta Paulo.

— Sim — responde Maria. — Afinal onde está esse tal Tadeu de quem você vem falando o tempo todo, que ninguém até agora viu? Não seria fruto da sua imaginação?

— Será? — pergunta Paulo atordoado.

15 minutos depois chega uma ambulancia ao local para remover o enfermo para o hospício.

— Maria? — pergunta um homem com aparência de médico.

— Sim, sou eu.

— Vim remover os loucos, — Diz o médico — pode levar aquele alí — com o médico apontando para Tadeu bem ao longe.
Gritos eram ouvidos por todos há mais de 500 metros de distancia; Tadeu era removido para um hospício.

De volta para casa, Maria, Paulo e Noélia, sentam-se no sofá, ainda sem um ver o outro, e tomam um bom chá para falar sobre a vida os 3.

— Ding-Dong.

— Atenda a porta — disse Paulo à Maria, que apressou-se em atende-la.

— Boa tarde, Meu nome é Marcelo, sou do hospício e vim atender ao pedido de Maria, reportando sobre sintomas esquizofrenicos em seu ex-marido Paulo, é aqui mesmo?

— Sim, mas acho que você está atrasado, pois há cerca de 2 horas, um de seus homens acabou de remover o louco para o hospício. — Explica Maria, ainda sem entender a presença do médico em sua casa.

— Eu poderia entrar? — pergunta o médico.

— Claro, fique a vontade — respondeu Maria, conduzindo o médico para dentro de sua residencia.

— Foi engano? — Perguntou Paulo sem ver o médico.

— Quem era? — Perguntou Noélia sem estar entendendo mais nada.

O médico percebe 3 lugares vazios na mesa com 2 chícaras cheias de chá frio.

— Este é o meu ex-marido, e esta é minha melhor amiga Noélia. — Disse Maria ao médico.

— Olá! — Disse o médico cumprimentando Noélia e Paulo, os quais, por não o verem, não responderam seu cumprimento.
Maria envergonhada, diz ao médico para não ligar para Noélia e Paulo pois às vezes eles agem de forma muito estranha. O médico disse para maria não se preocupar pois Noélia era sua cunhada, irmã de sua esposa, e que ele ja estava acostumado com o comportamento de Noélia.

— Poderiamos conversar lá fora? — disse o médico à maria.

— Claro! — respondeu maria. — Aguardem aqui um minuto que eu ja volto. — disse Maria a Paulo e a Noélia que ascenaram com a cabeça dizendo estar tudo bem.

Ao sair de casa, Maria é conduzida à ambulancia onde é sedada e levada para ser internada.

Antes do medicamento fazer efeito Maria pensou consigo mesma:

— Este médico só pode ser louco!

— Com certeza. — responde Noélia abraçada a Paulo.

Fim

Marcelo Aires Caetano

30 de Novembro de 2006

Anúncios